Fantástico apresenta Correio Feminino, inspirada em Clarice Lispector

Fantástico apresenta Correio Feminino, inspirada em Clarice Lispector

0 20
Cintia Dicker , Luiza Brunet , Maria Fernanda Candido , Alessandra Maestrini e Luiz Fernando Carvalho
Cintia Dicker , Luiza Brunet , Maria Fernanda Candido , Alessandra Maestrini e Luiz Fernando Carvalho

Na noite desta terça-feira, dia 08, a nova série do ‘Fantástico’, “Correio Feminino”,  foi apresentada à imprensa, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. Com adaptação de Maria Camargo e direção de Luiz Fernando Carvalho, o especial é inspirado nas obras “Correio Feminino” e “Só Para Mulheres”, que reúnem as crônicas que a escritora Clarice Lispector escreveu, nas décadas de 1950 e 1960, sob o pseudônimo de Helen Palmer, Teresa Quadros e Ilka Soares. Seus textos, com conselhos, dicas e reflexões para as mulheres, foram publicados em colunas dos jornais Correio da Manhã, Comício e Diário da Noite.

A sala do teatro, onde foi exibido para os convidados o primeiro episódio da série, estava decorada com elementos da cenografia e do figurino da série. A plateia pôde ver de perto e conferir cada detalhe. No palco, estavam expostos, suspensos por cabos de aço, alguns dos principais figurinos usados pelas personagens, como roupas, sapatos e acessórios de cabelo. “No texto de Helen Palmer, pudemos localizar várias referências e indicações de como a mulher deveria se vestir e se comportar.”, diz a figurinista Luciana Buarque, que em parceria com Thanara Schönardie, realizou uma ampla pesquisa em torno da moda da época. No total, foram confeccionadas cerca de 200 peças especialmente para o especial. “Andamos o tempo inteiro dentro de formas do design e da beleza, realçando o clássico. Faz parte do universo feminino a preocupação das mulheres em se vestir bem e se sentir bem. Essa é uma questão universal e atemporal”, finaliza Thanara.  Objetos selecionados pela equipe de produção de arte, como móveis e eletrodomésticos, também estavam expostos no palco do teatro. “Nas cenas, estão sempre apenas os poucos objetos fundamentalmente necessários, então, essa foi uma escolha minuciosa. Uma curiosidade incrível foi que encontramos uma máquina de lavar da década de 1950 que ainda estava funcionando, o que foi uma surpresa”, conta Marco Cortez, produtor de arte da série.

“Consegui realizar um sonho antigo de me aproximar – mesmo que de uma forma enviesada por meio da Helen Palmer –   de uma figura como a Clarice Lispector.  Esse trabalho não deixa de ser uma reflexão: até que ponto as questões do feminino foram resolvidas? O grupo das intérpretes conseguiu traduzir muito bem a feminilidade do texto e não só pelo fato de elas serem mulheres. Elas foram muito felizes e corajosas e fiquei muito satisfeito com o resultado”, diz Luiz Fernando Carvalho, diretor de ‘Correio Feminino’.  Na série, que estreia dia 27 no ‘Fantástico’, a atriz Maria Fernanda Cândido dá vida à Helen Palmer;  Alessandra Maestrini interpreta a “mulher jovem”; a modelo Luiza Brunet vive a “mulher madura” e a top model internacional Cintia Dicker interpreta, em seu primeiro trabalho para a televisão, a “adolescente”. Todas elas tentam colocar em prática os preciosos conselhos que recebem de Helen Palmer.

Para Luiza Brunet o que Helen dizia para suas leitoras continua muito atual, em pleno século XXI.  “A mulher dos anos 50 tem o mesmo pensamento da mulher contemporânea, era sobre essa mulher que a Clarice escrevia, a mulher do futuro”, disse a atriz. “Muita coisa que está na série  ficou adormecido dentro da mulher de hoje. Os temas são os mesmos, muda apenas a forma que aconteceu aqui e ali. Esse texto aconteceu lá atrás e a gente ainda está falando dele”, finaliza a autora Maria Camargo sobre a atemporalidade de Clarice em sua crônicas para as colunas femininas dos jornais.

A atriz Maria Fernanda Cândido contou como foram as gravações: “Nós estivemos juntas durante todo o processo. Eu observava o que elas faziam enquanto eu dizia o meu texto, dentro de uma cápsula com microfones feita pelo artista plástico, Raimundo Rodriguez, especialmente para a série. Foi tudo feito junto, e assim encontrávamos a riqueza desse universo da adolescente, da jovem e da mulher madura”, explica. Alessandra Maestrini, que se diz uma apaixonada pelos livros de Clarice Lispector desde a adolescência, falou sobre a identificação que teve com o novo trabalho. “Me identifiquei com a minha personagem mesmo antes de gravar. Ao representar uma personagem que não tem fala, me senti exercitando uma coisa que sempre estive em dívida, que é a expressão corporal. Eu pude brincar com o cinema mudo”, declara a atriz. A top model internacional Cintia Dicker ficou animada com a estreia na TV e espera repetir o novo desafio outras vezes: ” Eu nunca tinha feito nada em televisão antes, estou apaixonada e espero que dê certo!”.

“Correio Feminino”, série com adaptação de Maria Camargo e direção de Luiz Fernando Carvalho, tem estreia prevista para o dia 27 no ‘Fantástico’. O especial vai ao ar no programa em oito episódios.

Sem Comentários

Deixe uma opinião